Discrepâncias Esqueléticas

discrepâncias esqueléticas

Hábitos alimentares e miscigenação racial podem causar discrepâncias esqueléticas

Em uma população onde há muita miscigenação entre as raças, as características dentárias e esqueléticas herdadas podem causar discrepâncias esqueléticas. Isso ocorre devido à mistura dos genes de pessoas com características muito diferentes, que geram filhos com discrepância esquelética. Outro fator relacionado ao problema é o hábito alimentar. De acordo com o Ministério da Saúde, conforme a criança vai crescendo e entra na alimentação complementar, a consistência dos alimentos deve aumentar progressivamente, até chegar à consistência da alimentação da família. É nesse processo que a criança desenvolve mais ou menos a sua musculatura orofacial, fortalece os dentes que estão em fase de crescimento, o próprio processo de mastigação e deglutição, além do controle da respiração durante o ato de comer. Por isso, é fundamental que os pais incentivem seus filhos a seguir todas as etapas da alimentação, desde o ato de sugar o leite até o consumo dos alimentos sólidos. Do contrário, pode haver um retardo no desenvolvimento mandibular.

 

Dra. Taisa Castello Gomes